sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Heróis do Alentejo e de Lisboa Juntos Para Cumprir Missão em Almada

É já amanhã, dia 20 de Novembro pelas 16 horas que os mais recentes Heróis (os da Capital) se juntam para receber os antecessores do Alentejo e juntos cumprir uma missão árdua, repleta de peripécias heróicas, certamente, em torno dos falares destas duas regiões do país.

Local escolhido para a missão, Almada Forum, espaço FNAC.

Estórias de alfacinhas e de parrascanas que vão fazer as delicias dos mais exigentes destas lides.

Os Heróis Alfacinhas
http://www.heroisamodadelisboa.blogspot.com

A "Fábrica" de Heróis
http://www.lugardapalavra.pt

segunda-feira, 19 de julho de 2010

HMA - Actividades de Julho

Dia 23 de Julho, 21:30, Lisboa – Casa do Alentejo, apresentação do livro.


Dia 22 de Julho, 21:30 horas, Serpa, integrado na dinâmica cultural organizada pelo espaço VOL – Noites da Nora – apresentação do livro.


Dia 08 de Julho, 11:40 horas, Marina da Amieira, presença no programa da RTP «Especial Alqueva».

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Apresentações Públicas dos HMA

Apresentação I








Dia 05 de Junho de 2010, 17:00 horas – Biblioteca Municipal de Beja (José Saramago)
A primeira aparição pública aconteceu na capital do Baixo-Alentejo, região da qual são naturais os autores da obra.
Com um auditório bem composto ouviram as primeiras declarações dos autores. Testemunhos de uma participação inédita mas entusiasmada dos autores num projecto do género.


Apresentação II
Dia 05 de Junho de 2010, 21:30 horas – Adega Mantana (Moura)
Foi ao som de música popular, com uma graçola daqui e uma anedota dali que se foi entrando pela noite amena de Junho, no coração do Alentejo.


Apresentação III
Dia 11 de Junho de 2010, 22:00 horas – Feira do Livro do Porto
Aconteceu na ressaca de dias de chuva e frio a norte. A feira estava pouco povoada, no palco localizado na parte mais alta da Avenida dos Aliados um grupo de música pesada insistia em ter protagonismo e na parte mais baixa da rua da feira heróis do Porto e do Alentejo tentavam fazer ouvir os seus actos heróicos.
E fizeram … os anfitriões deram o mote e o linguarejar portuense fez acudir à praça do evento muitos transeuntes da feira. Risos, gargalhadas, admiração entre outras atitudes abonatórias, foram as reacções de quem ouviu falar destes heróis a Norte e de seguida dos seus sucessores ao Sul.
Confrontaram-se termos e jogou-se com o valor dos vocábulos das duas regiões.
Um serão na feira onde se espalhou perfume portuense e alentejano e onde os Heróis à Moda de … foram os que mais brilharam.

Apresentação IV




Dia 12 de Junho de 2010, 21:30 horas – Loja Fnac do Gaiashopping
Num ambiente mais intimista contaram-se estórias do Sul e do Norte. Promoveram-se os vocábulos e espalhou-se cultura lusa.

Apresentação V








Dia 28 de Junho de 2010, 21:30 horas – Biblioteca Municipal de Ferreira do Alentejo
Foi na esplanada da biblioteca que os Heróis à Moda do Alentejo se mostraram à população de Ferreira, localidade de onde alguns autores são naturais.

O Mote começou com um cante a despique que entusiasmou a assistência. Depois seguiu-se a apresentação do texto, com testemunhos dos autores da localidade, leitura de um pequeno extracto do texto e algumas anedotas de humor refinado, inspiradas em personagens do livro, mais concretamente Zei Aranha e Jaquim Zorro.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Heróis à Moda do Alentejo em Ferreira

Realiza-se no dia 28 de Junho às 21:30 na Biblioteca Municipal de Ferreira do Alentejo mais uma apresentação pública dos Heróis.

Testemunhos dos autores e uma pequena rábula / leitura a partir do conteúdo da obra são os ingredientes para o serão que se pretende animado e com muitas carcachadas à mistura … de outra forma a apresentação não terá piléria.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Heróis no Top 10 da FNAC

Quinze dias no mercado e o resultado é fantástico. Os Heróis à Moda do Alentejo entram no top 10 da principal cadeia livreira nacional.

9º lugar do top absoluto


3º lugar do Top não-ficção


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Livrarias Que Têm os Heróis

Fnac's (Lisboa, Porto, Coimbra, Braga, Guimarães, Almada, Funchal, Matosinhos, Gaia, Cascais, Viseu, Faro).

Almedina's (Lisboa, Porto, Coimbra, Braga)

El Corte Inglés (Lisboa, Gaia)


Lisboa:
Livraria Portugal, Livraria Oficina do Livro, Bulhosa, Barata, Book House

Amadora:
Velez

Mem Martins:
Dharma

Almada:
Vieira e Alface

Setúbal:
Bocage

Leiria:
Letras e Livros

Beja:
Lupynand e Estudantina

Évora:
Dom Pepe e Nazareth

Gaia:
Velhotes

Aveiro:
Leya

Porto:
Leitura, Latina, José Alves, Clube Literário do Porto, Book House

Elvas:
Mundo das Letras

Montemor-o-Novo
Fonte de Letras

Castro Verde
Contracapa

Santarém
Caminho


ou pela internet, através de www.wook.pt

terça-feira, 8 de junho de 2010

Próximas Apresentações a Norte


Feira do Livro do Porto
Dia 11 de Junho às 22 horas
Espaço - Auditório da Feira


Fnac do Gaiashopping
dia 12 de Junho às 21:30

Heróis à Moda do Alentejo na RTP

Heróis à Moda do Alentejo tiveram honras de reportagem televisiva na RTP.
Jornal da Tarde e Portugal Directo do dia 08 de Junho.

O link
http://tv1.rtp.pt/noticias/index.php?t=Falar-a-moda-do-Alentejo-e-materia-de-dicionario.rtp&headline=20&visual=9&article=350855&tm=4

quinta-feira, 3 de junho de 2010

CONVITE PARA LANÇAMENTO NACIONAL


OS HERÓIS À MODA DO ALENTEJO CONVIDAM TODOS OS PORTUGUESES PARA O LANÇAMENTO NACIONAL DA OBRA NO DIA 5 DE JUNHO DE 2010.

ÀS 17 HORAS HÁ UMA APRESENTAÇÃO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL JOSÉ SARAMAGO EM BEJA

ÀS 21:30 SERÁ O LANÇAMENTO OFICIAL NA ADEGA MANTANA EM MOURA (CORAÇÃO DO ALENTEJO). EVENTO QUE REUNE EM TORNO DA OBRA ALGUMAS SURPRESAS AGRADÁVEIS AOS SENTIDOS.

OS AUTORES DOS HERÓIS À MODA DO ALENTEJO AGRADECEM A TODOS OS QUE NOS ÚLTIMOS TEMPOS TÊM VISITADO O BLOG E ADERIDO AO PROJECTO LITERÁRIO EM CURSO ...

CONTINUEMOS A DIVERTIR-NOS COM AS ESTÓRIAS DOS HERÓIS ALENTEJANOS E A PRESERVAR AS TRADIÇÕES LINGUÍSTICAS E CULTURAIS DA REGIÃO.

Coordenador / autor e Testemunho - Luís Miguel Ricardo


Nasceu a 25 de Junho de 1973, em Ferreira do Alentejo.
Licenciado em Filosofia da Cultura e Formação Educacional pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Pós Graduado em Ciências Criminais pela Universidade Moderna e em Educação e Formação de Adultos pela Universidade do Algarve.
Entre 1997 e 2000, foi director das publicações “Fazedores de Letras” e “Ethos, Revista de Letras”. Actualmente é colaborador assíduo do Jornal de Ferreira.
No campo das letras criativas, tem dois segundos lugares em concursos literários nacionais: Prémio Lindley Cintra, promovido pela Faculdade de Letras de Lisboa em 1996 com o conto “Enigma Final”; Prémio Nacional Literário Fialho de Almeida, promovido pela Câmara Municipal de Cuba em 2005 com o conto “Fado Sambado”.
Publicou dois romances: em 2006, “Ritos do Desespero” pela editora campodosmedia; em 2009 “Operação Dominó” com a chancela da Lugar da Palavra.



Coordenar o Projecto Heróis à Moda do Alentejo
A viver momentos da glória proporcionados pelo êxito dos Heróis à Moda do Porto, a Editora idealizou esta colecção de Heróis à Moda …
Endereçou-me o convite para coordenar o projecto dos Heróis à Moda do Alentejo.
Um desafio aceite com agrado, por considerar de importância extrema a preservação da cultura e tradições do Alentejo, sobretudo, a sua tradição oral.
Daí a formar uma equipa que considerei à altura para atacar a “coisa” foi um ápice. Os contos iam surgindo e funcionavam como reforço positivo para continuar a colectar termos e expressões do Alentejo. Livros já publicados, estórias de ilustres desconhecidos que as escrevinhavam sem as assinar, conversas quotidianas em meios mais e menos rurais corrompidos pela globalização linguística, foram os universos privilegiados para a concepção da obra.
A minha participação, considero-a com 3 fases e / ou funções distintas:
Como contista, com o texto «Gang dos Cajados»
Como colector e crivo na inserção de entradas no dicionário: nem tudo o que parece ser alentejano o é de facto. E foi preciso algum rigor na eliminação de termos e expressões sugeridos pelas fontes;
Como organizador de conteúdos: tinha os ingredientes (contos e dicionário) mas precisava fazer a “açorda” … surgiu então «Os Sete Momentos da Criação».
Quero agradecer a todos os contistas que tornaram possível a edificação deste projecto, assim como à editora Lugar da Palavra que o projectou para o país e o mundo.

Autora e Testemunho - Manuela Pina


Tem 34 anos, é natural de Ferreira do Alentejo. Licenciada em Ciências Sociais na área da Psicologia Social fez do jornalismo profissão durante 15 anos. Os primeiros passos foram dados na Rádio Singa (Ferreira do Alentejo) sendo que nos últimos dez anos, entre 1999 e 2009 fez parte dos quadros de jornalistas da Rádio Pax (Beja) tendo ainda colaborado com a Rádio Renascença como correspondente em Beja, bem como com outras publicações regionais.
Actualmente integra a equipa do Gabinete de Informação da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo.


Quando recebi este amável convite do Luís, a primeira imagem que me veio à cabeça foi a de uma época em que a minha bisavó ( que tive o privilégio enorme de ainda conhecer) contava as suas histórias. E porque ainda hoje guardo com muito carinho a imagem da minha avó Mariana, disse imediatamente que sim. Depois... é que foram elas... E agora o que escrever? Será que consigo? A viagem pelo mundo dos contos e lendas é bem diferente da escrita a que estou habituada e que passa por relatar factos. Acabei por agarrar uma lenda, daquelas que se contam muito por estas terras (riquíssimas em contos que passam essencialmente de boca em boca) e ... saiu a Maria Abuínha. Espero que os leitores se divirtam tanto com as nossas histórias como nós nos divertimos a escreve-las.

Autor e testemunho - Carlos VIegas



Nasceu em Ferreira do Alentejo a 23 de Novembro de 1950.
É pós-graduado em Jornalismo pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE).
Percurso jornalístico: Rádio Singa; Rádio Pax; Rádio Voz da Planície; Jornal O ÁS; Jornal Sul Desportivo; Jornal de Notícias; Jornal Sudoeste e Jornal de Ferreira, onde desenvolve a sua actividade profissional como Coordenador desde 1998.


Bem, a coisa começou quando atendi o telefone. Era o Luís Ricardo. Olá Luís! Olá Carlos! Após os cumprimentos o Luís adianta: «Eh pá, eu precisava do contacto daquele senhor Espadinha, que habitualmente escreve para o nosso Jornal de Ferreira. Ele costuma escrever umas coisas giras e penso que era uma das pessoas para poder participar com um conto num livro que queremos publicar. Que género de livro? "Trata-se de um projecto… "

Após a explicação da ideia, confesso que a adorei. Resolvi interromper o raciocínio do Luís para lhe dar o número do telefone do Sr. Espadinha. «Oh Carlos, mas faz falta mais gente que goste e saiba escrever contos. Se quiser participar e souber de mais alguém… - Ok Luís, conte comigo! E já agora deixe-me perguntar aqui aos meus dois colegas, Marco Maurício e a Manuela Pina, se também querem participar no livro. Seguiu-se uma troca de olhares entre eles e um aceno de cabeças como forma de concordância.

Daí em diante, foi um meter mãos à obra e, devo dizer-vos, que aquilo que parecia inicialmente uma dificuldade, acabou por se tornar num trabalho muito agradável e que me surgiu com o aroma de tília que habitualmente nesta época do ano perfuma a Praça Comendador Infante Passanha em Ferreira do Alentejo.

Os aromas naturais sempre tiveram em mim um efeito especial funcionando como “veículos temporais” que me transportam para lugares distantes e recordações aprazíveis. A Tília, transportou-me para uma época da minha infância que me inspirou e me abriu caminho para o Conto: «Um Sorriso no Tempo»


PS: Casualmente, encontrei-me na rua com o amigo António Espadinha, o qual me disse que tinha sido contactado pelo Luís Ricardo, mas que se viu obrigado a recusar o convite pelo facto de não estar habituado a usar as palavras para tal fim, ou seja, do muito que tem escrito (crónicas e artigos de opinião) tem consciência que a técnica do «Conto» “lhe passa um pouco ao lado”.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Testemunho dos Autores - Maria Morais


Nasceu numa pequena aldeia do Baixo Alentejo (Vale de Vargo - Serpa) há 54 anos. Por motivos académicos e profissionais reside em Beja, mas frequentemente visita a sua terra natal. Gosta de ler, escrever e, em primeiro lugar, organizar passeios pelos campos do Alentejo, que é a sua paixão.

Eu (também) tinha um sonho”; o meu sonho é escrever um livro há muito idealizado. Acontece que, quando o Luís Ricardo me fez o convite para participar neste projecto senti-me lisonjeada e, confesso, com alguma emoção à mistura. Por outro lado, o tema era muito aliciante e o facto de ter oportunidade de contribuir para divulgar o jeito de ser e de estar deste povo alentejano já é, em si, uma melhadura. Foi, portanto, com muito orgulho que participei nesta aventura que, espero e acredito, seja do agrado dos leitores, também estes, heróis à nossa moda. E faço minhas as palavras de um colega vindo da capital e que por cá ficou: “o Alentejo encanta toda a gente”.

Maria Morais

Testemunho dos Autores - Antónia Luísa Silva


Nasceu a 8 de Agosto de 1964 em Montes Velhos. Nascida e criada no Alentejo, viveu a sua infância e juventude no Concelho de Aljustrel, onde continua ligada pela família e amigos. Reside em Beja e já faz parte do grupo, que se anima quando avista o Castelo de Beja. Vive e sente o Alentejo de uma forma peculiar e prova-o no seu dia-a-dia, na sua maneira de ser e de se relacionar com os outros.
Mestre em Serviço Social, pelo Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa.
Exerce funções no IEFP, IP – Centro de Formação Profissional de Beja, desde 1992. Foi Professora Universitária do Instituto Superior de Serviço Social, em Beja, de 1992 a 2007.
Participou em vários projectos na área da Formação Profissional e no âmbito do Serviço Social.


A Participação no Projecto foi para mim … uma concretização adiada de um sonho por realizar. Já tinha escrito algumas coisinhas, mas que não acabei e guardei a sete chaves! Aliás, em Novembro, penso que iniciei um pequeno livro, o qual interrompi por motivos de saúde. E … eis que em Março, o Luís Ricardo desinquietou-me, ou seja, lançou-me o desafio, ao qual respondi logo. De início, um pouco deslembrada, mas que terminou com entusiasmo.

Esta participação na obra heróis à moda do Alentejo, deu-me muito gozo e ânimo não só no âmbito da participação desta colectânea de contos, muito bem coordenada pelo Luís Ricardo, mas também me incentivou bastante a dar continuidade a trabalhos algures por terminar. Gostava de ter tido mais tempo para melhor saborear este envolvimento no projecto, mas foi a participação possível!

Relativamente ao conto, esse incidiu na temática da matança do porco, que é uma tradição quase em desuso, pois os tempos são outros, a carne já é mais abundante e generalizada nas ementas dos portugueses, as exigências na higiene alimentar também é uma imposição da parte das autoridades competentes e as fontes de convívio também aumentaram com a evolução dos tempos, o que desmotivou, de alguma forma, esta prática.

Como boa alentejana, pretendi trazer à tona essa tradição, e apresentar em traços gerais, os seus preparativos e rituais, para a dar a conhecer aqueles que nunca tiveram essa oportunidade. Por outro lado foi um recordar de tempos passados e de experiências que os meus tios, Júlia e Manuel José e sogros, me fizeram o favor de proporcionar. Obrigada! Obrigada Luís por me incluíres no Projecto.


Antónia Luísa Silva

Testemunho dos Autores - João Paulo


Nasceu no dia 21 de Fevereiro de 1976 na cidade de Beja. Músico de profissão, conta na sua carreira com três discos gravados pelo seu actual projecto – o grupo Adiafa – onde alcançou a galardão de disco de platina logo no álbum de estreia “Adiafa”. Participou noutros discos como “Cabeças no Ar”, “Jorge Vadio”, “Gaiteiros de Lisboa” e mais recentemente “Baile Popular”.
Para além de Adiafa, conta também com um projecto que tem como principal função, a preservação e divulgação da viola campaniça, integrando o grupo “Modas à Campaniça”.
No campo literário, embora tenha escrito alguns textos anteriormente, foi no projecto “Os Campaniços”, que desenvolveu o seu gosto pela escrita criativa, relatando histórias sobre duas personagens tipicamente alentejanas: Amílcar Alhinho e Joséfo Dias.
O seu gosto pela escrita criativa, levou-o a aceitar o desafio de assumir diariamente um espaço de humor na Rádio Voz da Planície (Beja) com a rábula “Salada de Boletas”.
http://joaoadiafa.blogspot.com


«Foi para mim um enorme prazer poder participar num projecto desta dimensão e ser eu também um "Herói à moda do Alentejo". Pois penso que para uma estreia na literatura não podia ser melhor. Tenho a agradecer ao coordenador do projecto, o Luís Ricardo, pelo convite e pela confiança que depositou no meu trabalho.
Espero agora que os "Heróis à Moda do Alentejo" se tornem Heróis de todo o país...»

João Paulo

domingo, 30 de maio de 2010

Testemunho dos Autores - Paulo Godinho


Nasceu no ano de 1962 em Lisboa. Licenciado em Clássicas (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa) e em Psicologia (ISPA), doutor em Psicologia (EUA) e agregado em Linguística Geral. Professor do ensino secundário (Português e Latim) e do ensino superior (Psicolinguística). Investigador europeu - culturas regionais».


«Confesso que se tratou da minha primeira incursão no mundo da escrita ficcional. Provindo da escrita puramente técnica, onde as palavras devem dizer exactamente aquilo que se pretende, pois comportam per si cientificidade, a proposta de me lançar no ar quente da ficção esbarrou com um balão que se recusava a subir, alegando falta de tempo, excesso de trabalho, actividades múltiplas e também saúde debilitada. Resolvi ser parco, muito parco. O conto começou a fluir, passou para o papel, daí para o lixo e, do lixo, foi repescado já no final, para substituir um novo filho, de cariz ainda técnico. De facto, foi um processo vital na minha evolução. Até porque, paralelamente, dissertava sobre o arameu e o seu legado indo-europeu na formação das línguas ditas eslavas. Grande confusão. Entre o estamoeirado alentejano e o displicentemente reactivo do arameu foi grande a «diarreia mental». Nem imodium, nem qualquer outra substância poderia estancar tal fluxo, mas é destas desconjunções, destas rupturas, que se faz o conhecimento e eu certamente aprendi muito sobre mim próprio, através dum contributo tão pequeno.»

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Primeiras Apresentações

Estes heróis da planície, de cariz rural, vão mostrar-se ao público já nos próximos dias 4 e 5 de Junho.

Agenda de Apresentações

Dia 4 de Junho às 21:30, na Biblioteca Municipal de Ferreira do Alentejo


Dia 5 de Junho às 17 horas, na Biblioteca Municipal de Beja


Dia 5 de Junho às 21:30, no Castelo de Moura (com animação musical da região)


Oportunamente serão divulgadas outras apresentações da obra.

Os autores que deram vida a estes heróis do Alentejo, assim como a editora «lugar da palavra», têm o prazer de convidar todos os interessados ou curiosos sobre o assunto / evento a estar presentes / participar nestas apresentações públicas.

Divertimento, cultura, tradições é o que os Heróis do Alentejo prometem neste livro.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Heróis à Moda do Alentejo – O Rosto


O projecto literário já tem rosto.

Mantendo a linha estética do seu antecessor (Heróis à Moda do Porto), surge-nos a capa dos Heróis à Moda do Alentejo.
Uma árvore típica da região, uma paisagem a colar com o horizonte aberto e, certamente, soalheiro e uma trilogia de figuras representativas do Alentejo: a ceifeira que representa as searas de trigo a perder de vista, o sujeito que esvoaça com “calma” sobre o chaparro tranquilo e de estrutura atarracada que simboliza os “heróis” rurais da planície ampla, e a ovelha que representa os rebanhos de número quase infinito que povoam os campos multicolores do Alentejo.

Na capa, e a exemplo da colecção, surge a informação adicional que existe no interior da obra um dicionário …

Chamamos-lhe DICIONÁRIO PARRASCANA

O que significará o termo???

Um comentário e / ou uma reflexão sobre um dos milhares de termos presentes neste mesmo dicionário é o convite / desafio que deixamos aos visitantes do blog oficial.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

A Génese do Projecto




Janeiro de 2010

Um exercício de escrita criativa, um grupo de formação, e um professor disposto a dinamizar foram os ingredientes base do livro de humor «Heróis à Moda do Porto». Um título que, superando todas as expectativas iniciais se tornou em poucos dias no livro mais vendido do país, esgotando stocks em livrarias de referência, de norte a sul de Portugal.

Heróis à Moda do Porto é um pequeno livro de contos, onde é respeitado o linguarejar das gentes da invicta, e para que todos os leitores fiquem por dentro das tramas narradas existe uma segunda parte com um dicionário de todas as palavras e expressões contidas nos contos e outras que, não estando presentes nos enredos, fazem parte do quotidiano dos portuenses.

Se preservar e divulgar os falares dos “portistas” e portuenses é o principal objectivo da obra;
Se as vendas já ultrapassaram há muito os 20 000 títulos vendidos;
Então a missão está a ser plenamente cumprida.


É nesta onda de sucesso que emerge o projecto «Heróis à Moda do Alentejo», que será o livro dois, daquilo que se pretende venha a ser uma colecção de referência na preservação do hábitos e tradições linguísticas das várias regiões do país.

Responsável pelo projecto geral, a editora Lugar da Palavra e o editor João Carlos Brito;
Pelos Heróis à Moda do Alentejo, o autor Luís Miguel Ricardo (como coordenador do projecto) e os contistas convidados: Antónia Silva e Afonso Barroso, Carlos Viegas, João Paulo, Manuela Pina, Marco Maurício, Maria Morais e Paulo Godinho.